Bokay

Portugal Militar

de Carlos Selvagem

Sinopse

Compêndio de História Militar e Naval de Portugal
Desde as origens do estado portucalense até o fim da dinastia bragança

“Para mais fácil explicação da matéria, dividiremos a história militar de Portugal em grandes ciclos ou épocas, correspondentes às grandes fases da sua história política, que condicionaram toda a actividade pugnaz e a própria evolução orgânica das suas instituições militares.
[…]
A Primeira Época, que vai dos meados do século XI aos começos do século XV, identificada quási totalmente com a dinastia afonsina ou borgonhesa, constitui politicamente a fase da formação territorial e orgânica da nacionalidade, caracterizando-se militarmente pela criação das milícias municipais e pelas infatigáveis lutas de conquista aos moiros e de resistência às tendências absorcionistas das vizinhas monarquias cristãs (Leão e Castela).
A Segunda Época, verdadeira fase de plenitude, absorvida pela grande empresa nacional dos descobrimentos e conquistas ultramarinas, vai dos começos do século XV aos meados do século xvi e, abrangendo toda a dinastia de Avis e a da Casa de Áustria, caracteriza-se politicamente pela expansão extra-continental da nacionalidade e, militarmente, pela natureza anfibia das suas campanhas e pelas tentativas de uma nova organização territorial – as ordenanças – sucedânea da antiga organização das milícias municipais.
A Terceira Época, dos fins do século XVII aos começos do século XIX, identificada com a primeira metade da dinastia de Bragança, é caracterizada politicamente pelas tentativas de reorganização económica da metrópole sob o regime absolutista e, militarmente, pelas lutas separatistas contra a Espanha, pelas guerras do equilíbrio europeu e pela instituição dos exércitos regulares e permanentes.
Finalmente, a Quarta Época, que abrange todo o século XIX até a primeira década do século XX, compreende os últimos reinados da dinastia de Bragança e é assinalada, politicamente, pela tumultuosa reorganização do Estado segundo as ideas democráticas da Revolução Francesa e, militarmente, pela transformação dos exércitos permanentes em semi-permanentes, pelas encarniçadas lutas civis em que se jogaram os destinos políticos da nação e, depois da pacificação do país, por um renôvo de actividade militar no Ultramar que consolidou os antigos domínios de Portugal em África.” in Introdução

Limpar

Condição dos Exemplares Disponíveis

Características Preço Comprar o Livro
Primeira edição. Preserva os cadernos parcialmente por abrir. Algumas folhas com pequenos rasgos na margem resultado da abertura dos cadernos. Possui dedicatória na folha de anterrosto. Leves marcas de manuseamento e um pequeno rasgo na margem inferior da contracapa. Possui cinco pequenos furos de xilófagos na contracapa e nas últimas nove folhas, sem comprometer a leitura. 685-XL páginas. 35.00 € Comprar

Sobre o livro

NÃO ENCONTRA O LIVRO QUE PRETENDE?

Faça o seu pedido aqui

Encomendar

* Sem sinal ou cartão de crédito

Não Deixe
As Oportunidades Voar

‎‏‏‎ ‎‏‏‎ Muitos dos títulos apenas têm um exemplar disponível‎‏‏‎
‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎
‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎