Bokay

A Juventude na Sociedade Moderna

De: Marialice M. Foracchi

Sinopse

A sociedade moderna, com tôdas as suas variantes, vem se constituindo o tema central da investigação teórica nas ciências humanas. Sob o ângulo de uma teoria da modernização que Marcuse certamente incluiria na parte cerimonial de um behaviorismo prático, algumas características poderiam ser tomadas para a identificação da noção de sociedade moderna e incluiriam desde a especialização ocupacional, concentração urbana da população, tecnologia avançada, meios modernos de comunicação de massa, sistema educacional altamente desenvolvido até a importância relevante concedida à ciência e aos valôres materiais aos quais se acrescentaria um forte sentimento patriótico nacional.
Um dos argumentos centrais dêste livro é que a estruturação dêsses elementos característicos articula-se na sociedade contemporânea de modo a encontrar expressão social direta nos movimentos de contestação, nos quais se incluem os movimentos de juventude. Traço comum a eles é a rejeição de todas as variantes da sociedade industrial e não apenas da capitalista. Esta recusa total é constitutiva da juventude como categoria social e sua presença é viva em tôdas as situações que plasmam o campo do jovem e o seu projeto de vida. A dramaticidade dos problemas da sociedade moderna encontra um equacionamento sensível e crítico no questionamento jovem que, como êsse livro procura demonstrar, é um desafio aberto que esbarra com alternativas e limites de uma racionalidade que encobre uma irracionalidade.
A noção de sociedade moderna, ao contrário do que postulam os seus teóricos mais eminentes, elabora no seu marco a distinção entre sociedades desenvolvidas e subdesenvolvidas e a hierarquia contida numa eventual tipologia de movimentos sociais impõe que sejam relacionados, nesse marco, os fatores que os constituem e os diversificam. Por essa razão, o movimento hippy e o movimento estudantil se tocam não como extremos, mas como expressões particulares de uma diferenciação presente na sociedade moderna como elemento de crise. A referência à sociedade latino-americana, apresentada no último capítulo dêste livro, no que diz respeito aos movimentos de juventude e sua referência à sociedade moderna, tem, pois, o sentido de não só complementar a vinculação ao núcleo dominante, mas de completar a interpretação. Tal esforço teórico sugere que um dos aspectos relevantes dêste livro é o de apresentar uma compreensão original do radicalismo juvenil com base em uma perspectiva de interpretação sociológica que questiona as formulações convencionais, incorporando no debate análises lúcidas sôbre a iminência da crise na Sociologia Ocidental como a de Alvin W. Gouldner e outros.

Limpar

Condição dos Exemplares Disponíveis

Características
Leves marcas de manuseamento. Mancha de água na margem superior das capas e primeiras páginas. 168-I páginas.

Sobre o livro

NÃO ENCONTRA O LIVRO QUE PRETENDE?

Faça o seu pedido aqui

Encomendar

* Sem sinal ou cartão de crédito

Não Deixe
As Oportunidades Voar

‎‏‏‎ ‎‏‏‎ Muitos dos títulos apenas têm um exemplar disponível‎‏‏‎
‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎
‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎ ‎‏‏‎